sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Configuração Planetária Rara em 07 de agosto de 2010



Se Deus é o grande arquiteto do universo, um exemplo dessa "geometria celeste" vai acontecer no próximo sábado: um raro alinhamento planetário em forma de cruz associada a signos cardeais nos inícios de Áries, Câncer, Libra e Capricórnio.

Configuração peculiar, o alinhamento terá influências sobre a humanidade, dizem os astrólogos. "É a filosofia do espelho de Platão, a sincronicidade que acontece em todos os níveis, onde os espaços mórficos do cérebro recebem as ressonâncias magnéticas das estrelas e configurações cósmicas de acordo com as leis da geometria analítica dos espaços curvos e da física", ensina Maria Ângela Vaz de Mello, pesquisadora da ciência esotérica.

Esse conceito, a primeira vista complexo, sustenta o princípio de que Deus cria "geometricamente". E é exatamente o que acontecerá neste fim de semana. "Tudo isso reflete mudanças em diversos níveis. Plutão em Capricórnio, que é um signo de terra, mostra a preocupação governamental com os problemas climáticos que estão ocorrendo de forma apocalíptica. Como na mitologia, Plutão representa o deus dos infernos, o senhor dos mortos, a caverna do inconsciente anímico. Ele procura trazer à tona a necessidade da reciclagem do lixo, da sujeira escondida para uma transformação, pois a sociedade está farta da poluição e busca nova ética na política", diz Maria Ângela.

Segundo ela, Júpiter e Urano em Áries conferem nova expansão de consciência, renovação de valores e de antigos padrões em busca de uma espiritualidade mais sólida e responsável. "Uma ruptura com o arcaico e inoperante e que dê um sentido sério à vida", infere.

Saturno, Vênus e Marte em Libra "indicam a necessidade de muito equilíbrio em todos os setores, pois corrigir o caos não é tarefa fácil. A superação das antíteses ou das polaridades está indicada com Vênus, símbolo da sensibilidade e Marte, símbolo de ação, ambos conjuntos em Saturno, indicando busca de harmonia com responsabilidade, respeito á ordem jurídica e aos direitos adquiridos", ensina.

Essa grande quadratura astrológica revela que "a Lua em Câncer, forte por estar em seu domicílio, indica precaução, autoproteção não só do território com suas fronteiras que não podem estar abandonadas ao tráfico e às invasões, guerrilhas e problemas envolvendo casa própria e moradia, a defesa da propriedade e seu uso social. O país precisa se libertar do cordão umbilical da impunidade. Espero que essa mensagem celeste seja um alerta para que o tsunami não invada a terra e para que o homem sintonize sua pisque com as forças do alto. É tempo do alinhamento com a lei da harmonia universal", pontua Maria Ângela.

Mesmo desenho celeste em outros anos
No início de 1762
Urano e Júpiter estavam alinhados no primeiro decanato do signo de Áries. Esse ano foi marcado pelo início da guerra entre Espanha, maior potência naval da época, e a Inglaterra, que passaria a ser a nova potência maior. O grande império ibérico caminhava para o fim, e o nascente império anglo-saxão começava a despontar.

Em 1845
Urano e Júpiter encontraram-se mais uma vez nos primeiros graus de Áries. Naquele ano, o parlamento britânico promulgou a Lei Aberdeen, que foi um passo decisivo para a futura libertação dos escravos.

Agosto de 1927

Uma revolta do Exército chinês dá origem ao que viria ser o "Exército Vermelho", que teve papel fundamental na revolução que transformou a face e a história daquele país. Nesse mesmo ano, Benito Mussolini promulga a "Carta do Trabalho", que transforma a Itália em Estado corporativo, e abre as portas para o fascismo. Josef Stálin, após expulsar León Trotsky, torna-se líder absoluto do PC e da URSS. Um mundo terminava e outro estava começando.


Influência
Evento vai afetar o psiquismo

A data é 7 de agosto e, se pudéssemos alcançar a dimensão astrológica a olho nu, veríamos desenhados no céu um quadrado e um triângulo. É o que afirma Maria Luiza Fontenelle, astróloga paulista.

Na prática, significa que a energia gerada por essa configuração planetária “tende a fluir de forma extremamente tensa não só nesse dia (que será o mais carregado), mas alguns dias antes e depois também. Os efeitos na vida de cada um dependem muito de onde essa energia vai atuar no mapa individual e principalmente da força que cada um vai ser capaz de mobilizar para se proteger ou para transformar em crescimento e motivação, essas chacoalhadas”, explica a astróloga.

Estarão ocorrendo aspectos planetários raríssimos que felizmente não acontecem a todo o momento e que vão deixar muita tensão no ar, diz Maria Luiza. “A vibração é de mudança, de transformação das estruturas, organizações, instituições de administração. A ordem das coisas será alterada, mas como está chegando algo muito novo, é impossível prever exatamente onde e o que vai mudar. É impossível descrever o que nunca aconteceu, o que nunca se viu antes”.

Maria Luiza ressalta que a astrologia interpreta certa visão ou imagem do céu. “Existem diversas astrologias, culturas e mundos em nascimento e extinção todo o tempo. Muitos fatos importantes para a humanidade foram apontados pela configuração de aspectos intensos como esse, mas muito raramente eles foram relacionados, de imediato, com as mudanças que trouxeram”.

Ela lembra que, em 1524, por exemplo, houve um alinhamento de vários planetas em Peixes. “Foi quando a astrologia caiu em desgraça e foi desmoralizada pela Igreja Católica, pois muitos astrólogos anunciaram dilúvios e o que aconteceu foi uma grande ruptura: a reforma protestante que, aliás, causou mais guerras (mortes) e mudanças que qualquer enchente imaginável”.

Essa configuração planetária vai repercutir no coletivo, porque envolve também a Lua. “Será um tempo de vulnerabilidade emocional e transformações, mas nem sempre perceptíveis de imediato. Procurem se proteger ao máximo das pressões e da agitação do coletivo e, sobretudo, não cultivem medos inúteis”, aconselha a astróloga. (AED)

Publicado em: 03/08/2010 Jornal O tempo

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

A FLOR DE LOTUS



A imagem da flor de lótus simboliza elevação e expansão espiritual. É difícil encontrar um país da Ásia onde o lótus não seja considerado sagrado.



A planta, que também é conhecida como lótus-egípcio, lótus-sagrado e lótus-da-índia, é da família das ninfáceas (mesma família da vitória-régia), nativa do sudeste da Ásia (Japão, Filipinas e Índia).



A pureza representada pela flor e até mesmo a associação à Buda, ocorre em alusão ao processo de germinação da flor que emerge de águas lodosas para a superfície e quando desabrocha mostra toda a sua beleza e força, abrindo as flores brancas imaculadas.

Cultivada em áreas alagadas, a flor de lótus brota com facilidade em praticamente toda a Ásia. Ela pode ser cultivada em vasos imersos, lagos, espelhos d'água ou tanques de jardim. Por ser uma planta aquática, dispensa regas e requer adubação apenas uma vez por ano. Precisa de sol pleno a maior parte do dia e é muito sensível a geadas. Sua haste, muito comprida, pode alcançar mais de 1 metro acima do nível da água.



A semente de Lótus pode, por exemplo, ficar mais 5.000 anos sem água, somente esperando a condição ideal de umidade pra germinar.

Na Índia, a imagem da flor está relacionada à criação do universo. Repare nas gravuras indianas, os deuses costumam aparecer sentados ou em pé sobre a flor, como é o caso das representações de Ganesha (deus elefante), Lakshmi (a deusa da prosperidade) e Shiva (o destruidor). Krishna têm a seus pés algumas flores de Lótus, que são chamados pada-kamala (pés-de-Lótus).



Você também já deve ter ouvido falar da posição de Lótus na Yoga. Nesta ásana (postura) a pessoa se senta com as pernas cruzadas e entrelaçadas, mantendo a coluna ereta e as mãos pousadas sobre os joelhos.

A tradição budista nos relata que quando Siddhartha (que mais tarde se tornaria o Buda) tocou o solo e fez seus primeiros sete passos, sete flores de lótus cresceram. Representa, assim, que cada passo do Bodhisattva é um ato de expansão espiritual. Tanto que o conhecimento espiritual supremo é comparado ao florescimento do Lótus de mil pétalas no topo da cabeça, como é chamada a expansão do chakra coronário, e seria o equivalente à auréola dos santos da Igreja Católica.



Muitos monges e budistas em práticas meditativas imaginam flores de lótus surgindo debaixo de seus pés enquanto andam, assim estariam espalhando o amor e a compaixão de Buda simbolizados pela flor.

Simbologias a parte, saiba que a flor é enigmática até para a ciência. Há algumas curiosidades sobre a planta pesquisadas pela botânica que procura descobrir, por exemplo, porque as folhas da flor de lótus são autolimpantes, repelindo poeira e microorganismos.



É também a única planta que regula seu calor interno, mantendo-o por volta de 35º, a mesma temperatura do corpo humano. O botão da flor tem a forma de um coração, e suas pétalas não caem quando a flor morre, apenas secam. Assim, para os Chineses, o passado, o presente e o futuro estão simbolizados, respectivamente, pela flor seca, pela flor aberta e pela semente que irá germinar.



Fonte imagens: http://lotusflowerimages.com

Fontes texto:
http://vilamulher.terra.com.br/a-simbologia-da-flor-de-lotus-12-1-3209-8.html
http://www.saindodamatrix.com.br/archives/2004/08/flor_de_lotus.html

5 DE AGOSTO - O DIA MAIS FELIZ DO ANO




“DÉCIMO QUINTO DIA DE AV – (dia 05 de Agosto) O dia mais feliz do ano.

Neste dia, ambos, o Sol e a Lua estão cheios. O Sol – Zeir Anpin, o pólo positivo – representa o aspecto masculino de nosso universo. A Lua – Malchut, o pólo negativo – representa o aspecto feminino do universo. Quando a Lua reflete a luz do Sol, recebemos este poder de “retornar Luz”: a força do dar, de ajudar e de amar incondicionalmente. Por este motivo nossos sábios declararam que não há um dia mais feliz no ano; e esta rara oportunidade cósmica nos permite encontrar a nossa alma gêmea. Da mesma forma que neste dia o Sol e a Lua estão em harmonia, nós também podermos atrair esta união para nossas vidas.”


Fonte: Kabbalah Centre